Depois de contratar jornalistas em meados de agosto, o Facebook anunciou hoje (25) o lançamento da versão de testes do Facebook News, sua nova seção dedicada às notícias com esforço de curadoria humana. Similar ao Apple News+ em abordagem, a página foi disponibilizada para cerca de duzentos mil usuários nos Estados Unidos.

De acordo com a empresa em uma publicação em seu blog oficial, o News foi desenvolvido proximamente a jornalistas e publishers e inclui como uma de suas maiores ferramentas o “Today’s Stories”, uma página em formato de carrossel que permite ao usuário acessar as principais notícias do dia com curadoria de um time de jornalistas – que o Facebook afirma ser “livre de intervenção editorial” em qualquer nível.

“As pessoas querem se beneficiar de experiências personalizadas no Facebook, mas sabemos que há trabalhos jornalísticos que transcendem a experiência individual. Nós queremos apoiar ambos.” escreve a companhia no anúncio da seção.

Além do Today’s Stories, a aba de notícias do Facebook ainda conta com ferramentas importantes como opções de personalização por algoritmo e seções (como entretenimento, negócios, tecnologia e política) para permitir que o usuário esteja sempre sendo informado sem ser restrito por sua bolha. Ainda há a possibilidade de omitir certos veículos que não interessem ao leitor e linkar assinaturas pré-existentes do indivíduo à conta na rede social.

Embora a companhia de Mark Zuckerberg já tenha firmado um conjunto variado de parcerias com conglomerados importantes como o Buzzfeed, o USA Today e o The Wall Street Journal (incluindo acordos que incluem pagamentos aos veículos), o Facebook já disponibilizou um registro oficial para identificar e incluir novos publishers na aba, interagindo com a indústria para ajudar a plataforma a identificar o que eles categorizam como “conteúdo noticioso” – para ser qualificado no processo, porém, estes veículos terão que seguir as diretrizes estabelecidas pela empresa. As informações disponibilizadas do Facebook News serão divididas em quatro segmentos específicos: generalistas, especialistas, diversos e notícias locais.

A chegada do News é importante para o Facebook dado o cenário de tensão em que a empresa se localiza. Embora seja campeã de desinformação na rede, a plataforma ainda se mantém como um dos principais sítios de acesso e compartilhamento de informação, algo que colabora para sua atual posição frágil no mercado. Zuckerberg vem buscando reafirmar sua rede social como defensora de valores políticos máximos como a liberdade de expressão, mas isso passa por medidas como esta atenção maior à forma como notícias e (em especial) fake news se disseminam na rede.

É esta noção inclusive que provavelmente leva o Facebook a dizer no anúncio do News que vai continuar a “aprender, escutar e aperfeiçoar o produto à medida que ele for expandido” e que espera que o trabalho na seção a ajude no esforço de “sustentar o jornalismo de qualidade e fortalecer a democracia”.

Fonte: B9